Gravatá município distante 83km do Recife, capital do Estado de Pernambuco, situa-se no Planalto da Serra da Borborema , a 400m acima do nível do mar, tem clima de montanha com temperatura média anual variando entre 14° e 22° no inverno e 25° a 30° no verão, classificado entre os cinco melhores climas do Planeta Terra. O ponto mais alto da cidade e a Serra do Maroto se aproximando de 600m acima do nível do mar. Área territorial de 489mІ (IBGE). População de 67.273 habitantes (Censo de 2000). O acesso se dá pela BR 232, Rodovia Luiz Gonzaga.

DESENVOLVIMENTO
Portal de entrada do Agreste pernambucano a cidade se desenvolve através do turismo como sua principal fonte de renda, a partir de meados dos anos 60, do Século XX, com a construção do Hotel Suíço que influenciou a construção das primeiras casas e privês em estilo semelhante. Sofreu impacto ambiental relevante nos últimos anos pela construção civil que hoje se compõe de mais de 200 privês com mais de 15 mil casas de temporada em estilo europeu, dezenas de chácaras, mais de 100 haras e centenas de fazendas modernas. Possui a mais importante rede hoteleira do Estado e a mais variada gastronomia da região com dezenas de restaurantes de comidas típicas regionais e internacionais, churrascarias e bares culturais que animam a vida noturna da cidade.
A estação do frio que comeca na Páscoa, registra seu maior pico de visitantes na Semana Santa e no São João o dobro de sua população, com injeção de renda diferenciada na economia sazonal dos gravataenses.

Impulsionado pelo turismo de eventos e de negócios, o artesanato (de metal, madeira, couro e tecidos), a indústria de móveis rústicos e a floricultura formam os maiores Pólos produtivos de móveis e de flores no Nordeste e no Norte brasileiros, de reconhecimento nacional e de projeção internacional.

Gravatá se consolida a cada ano como a cidade mais charmosa do Nordeste e a mais amada dos pernambucanos.

CRONOLOGIA:
1808 – Implantação da Fazenda Gravatá por José Justino Carreiro de Miranda, fazendo fronteira com as terras do Povoado de Santo Antão (atual Vitória de Santo Antão), Amaraji, São José dos Bezerros (atual Bezerros) e Limoeiro;
1857 – Elevação do Povoado de Gravatá a Freguesia de Santana de Gravatá, sob domínio de Bezerros;
1881 – Elevação da Freguesia a Vila de Gravatá;
1884 – Elevação da Vila a Cidade de Gravatá;
1893 – Emancipação política que eleva a cidade de Gravatá a município autônomo, no dia 8 de fevereiro, por força do art. 6°, da Lei Orgânica n° 52 de 3 de agosto de 1892, que tem sua data de emancipação erroneamente comemorada no dia 15 de março de cada ano.

FONTE: Lins, Alberto Frederico. Historia de Gravata. Ed.. única, Pernambuco, Recife: Inojosa, 1993.

PONTOS TURÍSTICOS

ALTO DO CRUZEIRO
Um dos pontos mais alto do centro urbano de onde se avista toda a cidade. O por do sol de la e deslumbrante.

PALÁCIO JOAQUIM DIDIER (PAÇO MUNICIPAL)
O edifício da Prefeitura de Gravatá foi construido em 1908 em estilo português com na sua fachada o brasão do selo nacional.

ESTAÇÃO DO ARTESÃO
A antiga estação ferroviária foi transformada num centro de exposição e vendas de artesanatos produzidos em Gravatá.

IGREJA MATRIZ DE SANT'ANA
Construção iniciada em 1810 pelo fundador do município, José Justino Carreiro de Miranda no estilo neo-clássico.

POLO MOVELEIRO
Espaço onde os principais fabricantes de móveis rústicos e artesanatos de Gravatá comercializam seus produtos.

MEMORIAL GRAVATÁ
A antiga cadeia pública, construida no século passado, apos uma grande restauração se transformou no museu de Gravatá, com peças doadas pela sociedade gravataense.

TRILHA DOS TRILHOS
Passeio para quem gosta de aventura e conviver com a natureza, seguindo da BR 232 Km 78, caminhando por trilhos você passará por túneis e pontes com 70 metros de altura, mais ou menos 3 Km.

CACHOEIRA DA PEDRA DO TAO
Cachoeira de aproximadamente 8 metros, localizada na Fazenda Pedra do Tao.

HARAS E FAZENDAS
Dezenas de haras e fazendas em Gravatá, onde sao criados os principais mangalargas e quarto de milha da região.

CACHOEIRA DAS PALMEIRAS
Cercada de mata Atlantica, distante a 16 Km de Gravatá, em uma estrada de rara beleza.

CAPELA SÃO MIGUEL
Localizada na estrada para Mandacaru, apenas 2 Km de Gravatá, capela onde Frei Damião celebrou sua 1ª missa no Brasil.

FAZENDAS DE FLORES
Nas regiões de São Severino, Camucin e Limeira, dezenas de fazendas dedicam-se a produção de flores, crisatemos, gradiolos, rosas e tantas outras, fazendo de Gravatá a maior produtora do Nordeste.

PEDRA BRANCA
Pedra de 110 metros de altura, usada para pratica de esportes radicais, alpinismo. A 3,5 Km  da cidade, na estrada para Engenho Amora Grande.

BALNEÁRIO DONA NADIR
Local bastante aconchegante, cercado de muito verde e agua corrente, piscinas naturais e bicas, apenas 8 Km da cidade.

Hino do município de Gravatá

Letra: Professora Maria José de Carvalho
Música: Maestro Manoel Pereira da Silva (Bombardino)

Entre vales bem no alto da serra
Tu te ergues cidade altaneira
Linda Flor és o orgulho da terra
Dessa imensa Nação Brasileira!
Sobre o Cristo de braços abertos
Se desdobra num manto de luz
Este céu que parece tão perto
Do caminho que a Deus nos conduz

Gravatá tu és bela e gentil
Por teus filhos serás sempre amada
Rica jóia do nosso Brasil
Terno berço cidade encantada


Registrando um passado de glória
Tu viveste o episodio real
Foi Campelo este vulto da historia
Quem te fez imortal, imortal!
De Justino o audaz cavaleiro
Que um dia em teu solo pisou
Recebemos felizes herdeiros
A herança da paz que ficou!

Gravatá tu és bela e gentil
Por teus filhos serás sempre amada
Rica jóia do nosso Brasil
Terno berço cidade encantada